Alasca: aprovação do Senado dos EUA para perfuração de petróleo

Compartilhe esse artigo com seus amigos:

A forte dependência energética dos Estados Unidos e do aumento contínuo dos preços do petróleo levou o governo dos EUA para abrir áreas protegidas desde 20 anos no Alaska. O impacto ambiental de uma tal decisão, denunciada durante anos por organizações ambientais, ainda se sabe: perda de biodiversidade, o aquecimento global e afetam a sobrevivência de populações nesta região.

No Alasca, a abertura de áreas protegidas para perfuração de petróleo continua. O presidente Bush estima que 10 bilhões de barris podem ser extraídos da Arctic National Wildlife Zone e, segundo ele, "com quase nenhum impacto no meio ambiente e na vida selvagem". Além do aspecto ambiental, os senadores democratas - que votaram contra o texto - denunciaram o absurdo econômico dessas novas perfurações. John Kerry afirmou que "esta medida não teria efeito sobre o fornecimento de energia a longo prazo do país", enquanto o senador democrata Richard Durbin estimou a produção potencial de petróleo em apenas 2,5% das necessidades energéticas dos EUA. Unidos.

Leia mais

comentários do Facebook

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *